sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Exemplo a ser seguido

Para quem nutre desconfianças a respeito de concursos e prêmios literários, quero registrar aqui um democrático, saudável e singular exemplo. Sou o primeiro a criticar as coisas mal feitas, os enjambres, as maracutaias da vida literária, mas também me apresso a reconhecer o que é bem feito, o que é bem organizado, o que é transparente.

Faço parte do grupo de jurados do Prêmio Fato Literário 2010. Inicialmente, a RBS entrou em contato para saber se eu aceitava o encargo de votar. Respondi que sim, pois faço questão de atuar em prol da literatura. Depois, comunicaram-me que num dia xis eu receberia um e-mail e através dele deveria votar. No dia aprazado, reecebi o tal e-mail e votei em duas categorias.

Hoje, recebi um telefonema da Price, empresa contratada pela RBS para garantir a lisura de todo o processo. Do outro lado da linha, a agência de controle pediu-me que eu confirmasse meus votos. Deixei que ela declarasse, primeiro, em quem eu havia votado. Como as informações estavam absolutamente corretas, confirmei.

Agora, publicamente, declaro minha admiração por esse procedimento. Sim, é assim que se faz: com transparência.

Parabéns aos organizadores.

Irei à festa de entrega dos prêmios, no dia 15 de novembro, no Clube do Comércio.

4 comentários:

  1. Bom saber disso. Fico na torcida para que continue acontecendo dessa forma.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!
    Abraço,
    Sandraus

    ResponderExcluir
  3. Charles, incrível termos que elogiar o que deveria ser normal de acontecer, não é mesmo?

    Um abraço amigo e uma vez Educador-Escritor sempre nos chegam boas lições e escritos e por isso te parabenizo.

    Carmen.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns por fazer parte do grupo de jurados do Prêmio Fato Literário 2010. isso só engrandece a Literatura e dá credibilidade ao Concurso. Viva a transparência!!!!

    ResponderExcluir